Entre em contato
(44) 3027-2300

Preço da soja se mantém no Brasil

14/03/2018

As cotações da soja tiveram na terça-feira (13.03) um dia de comportamentos mistos no mercado físico brasileiro, sem influência direta da retomada de altas da Bolsa de Chicago (CBOT). De um modo geral, em média os preços tiveram ligeiras altas nos portos e se mantiveram estáveis no interior do País.

O analista da T&F Luiz Fernando Pacheco ressalta que, como resultado das retaliações chinesas contra as medidas protecionistas do governo Trump, a demando por soja brasileira pelos asiáticos pode subir. Segundo ele, há ainda a “possibilidade de reativação do contrato de soja na Bolsa Brasileira (B3). O mercado futuro é o melhor lugar para se negociar grandes quantidades de commodities. O problema, por enquanto, é que nada disto está efetivamente implantado e necessita de conversas, definição de procedimentos e outras burocracias que levam tempo. A curto e médio prazo, as exportações brasileiras continuarão em dólar. Só existem perspectivas”. 

FUNDAMENTOS

De acordo com mapas climáticos analisados pela AgResource, no Rio Grande do Sul é projetado um padrão “molhado”, favorecendo regiões que sofriam com baixos níveis de umi­dade do solo, nestas últimas semanas. Na região sul do Mato Gros­so, sul de Goiás, todo o Mato Grosso do Sul e Minas Gerais, as chu­vas intensas dão uma retraída momentânea até o dia 18-19 de março. 

“Caso confirmado, o cenário será propício para o reaquecimento do processo de colheita, que se encontra atrasado nestas regiões. Para o MATOPIBA, as chuvas continuam expressivas e regulares, favorecendo a soja que se encontra em períodos de desenvolvimento reprodutivo”, aponta os analistas da ARC.